quinta-feira, novembro 24, 2005

Sabia que...

Integrado num amplo esforço para controlar a indústria ilegal de droga, o governo colombiano, ajudado por fundos e equipamento norte-americanos, tem feito pulverizações áreas de herbicidas nas plantações de coca, em regiões onde se conhece a sua existência. Embora eficazes na destruição de plantas de coca, as pulverizações também danificaram plantações alimentares adjacentes e nascentes de água, e há notícia de residentes locais que desenvolveram problemas de saúde depois de entrar em contacto com o herbicida.

Muitos plantadores de coca cujas colheitas foram exterminadas mudaram-se simplesmente mais para o interior da floresta e limparam terreno para uma nova plantação. Além das pulverizações aéreas, o governo conduz muitas operações de erradicação manual e conta com um programa de incentivos para agricultores de coca que queiram passar, de livre vontade, para a plantação de produtos alimentares legais. Mas enquanto os agricultores de zonas remotas da Colômbia – como os do nosso artigo, que vivem ao longo do rio Caguán – não tiverem meios rápidos e baratos de escoamento dos seus produtos para o mercado, poucos incentivos terão para trocar as suas plantações de coca por outras menos lucrativas e mais vulneráveis.

— Karen C. Font
Para acrescentar: hoje saiu um artigo no Diário de Notícias relativo ao aumento do consumo de cocaína na Europa, alerta o relatório anual do Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência (OEDT), divulgado ontem. Porém e apesar de também registar um crescimento, Portugal mantém um dos consumos mais baixos de cocaína (menos de 2%).